Medley de António Variações


Ooooooh, oh oooooh, oh ooooooh
Eu tenho um anjo, anjo da guarda
Que me protege de noite e de dia
Eu não o vejo, eu não o ouço
Mas sinto sempre a sua companhia

Eu tenho um guarda que é um anjo
Que me protege de noite e de dia
Não usa arma, não usa a força
Usa uma luz com que ilumina a minha vida

Ele não, não usa arma
Ele não, não usa a força
Usa uma luz com que ilumina
A minha vida

Oohh larara...
Oohh larara...

É p’ra amanhã, bem podias fazer hoje
Porque amanhã sei que voltas a adiar
E tu bem sabes como o tempo foge
Mas nada fazes para o agarrar

Foi mais um dia e tu nada fizeste
Um dia a mais tu pensas que não faz mal
Vem outro dia e tudo se repete
E vais deixando ficar tudo igual

Oohh larara...
Oohh larara...


Ver-te sorrir eu nunca te vi
E a cantar, eu nunca te ouvi
Será de ti ou pensas que tens que ser assim?

Muda de vida se tu não vives satisfeito
Muda de vida, estás sempre a tempo de Mudar
Muda de vida, não deves viver contrafeito
Muda de vida, se há vida em ti a latejar

Ver-te sorrir eu nunca te vi
E a cantar, eu nunca te ouvi
Será de ti ou pensas que tens que ser assim?

Muda de vida se tu não vives satisfeito
Muda de vida, estás sempre a tempo de Mudar
Muda de vida, não deves viver contrafeito
Muda de vida, se há vida em ti a latejar


Não consigo dominar
Este estado de ansiedade
A pressa de chegar
P?ra não chegar tarde

Não sei de que é que eu fujo
Será desta solidão
Mas porque é que eu recuso
Quem quer dar-me a mão

Vou continuar a procurar a quem eu me quero dar
Porque até aqui eu só

Quero quem
Quem eu nunca vi
Porque eu só quero quem
Quem não conheci

Porque eu só quero quem
Quem eu nunca vi
Porque eu só quero quem
Quem não conheci
Porque eu só quero quem
Quem eu nunca vi


Quando a cabeça não tem juízo
Quando te esforças mais do que é preciso
O corpo é que paga
O corpo é que paga

Deixa´ó pagar deixa´ó pagar
Se tu estás a gostar

Quando a cabeça não se liberta
Das frustrações inibições
Toda essa força que te aperta
O corpo é que sofre
As privações mutilaçoes

Lap tap tere ...

O corpo é que paga

Original: António Variações
Compilação de temas: Ana Carolina "Santana" Santos; Maria Inês "Bellamy" Figueiredo
Arranjos: EncantaTuna - TAFUBI

Sem comentários: