Reportagem do II Feitiço

II FeitiçoReportagem
0/5 (0 votos)

II Feitiço

A Feminina Vence O II Feitiço

Realizou-se, no passado dia 24 de Março, a 2.ª edição do Feitiço - Festival de Tunas Femininas da Universidade da Beira Interior, na Covilhã, com organização da Encantatuna - Tuna Académica Feminina da Universidade da Beira Interior.

A tarde iniciou-se com um pasacalles, apesar da chuva que marcou uma presença subtil, por alguns cafés/bares da cidade, onde as tunas puderam mostrar à cidade um pouco da sua música, dando o mote para o espectáculo nocturno. No entanto, já desde a noite anterior que as capas negras vaguevam pela Covilhã, uma vez que alguns elementos/tunas chegaram mais cedo, começando a festa mais cedo com as anfitriãs.

Após o jantar, o auditório da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior foi sendo ocupado pelo público que, uma vez mais, aderiu a um evento tunante na cidade. A abertura ficou a cargo das aprendizes e caloiras da Encantatuna com a "Música do Trololó", numa surpresa à restante tuna.

Seguidamente, apresentou-se em palco a Cientuna - Tuna Feminina da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, uma tuna amiga (e em processo de irmanamento) com a tuna anfitriã. Iniciaram a sua actuação com o tema de Dulce Pontes "O Primeiro Canto", prosseguindo para "O Meu Coração Não Tem Cor", de Lúcia Moniz. Prosseguiram com o seu hino, "A Cientuna Somos Nós", um medley e finalizaram com o original "Lembranças".

A primeira tuna a concurso veio do Algarve. Com 25 elementos em palco, a Feminis Ferventis - Tuna Académica Feminina da Universidade do Algarve. Iniciaram a sua prestação com o seu instrumental, com lugar para esquemas de pandeiretas e estandartes. Apresentaram o seu repertório com uma espécie de "Roda da Sorte", onde os "ouvintes" do "programa de rádio" ganhavam uma determinada categoria musical via "telefone". Assim, prosseguiram a sua actuação com a categoria "Música-Fado" da sua "Roda das Canções", no tema "Búzios", de Ana Moura, onde a sua solista brilhou. A "Música para chorar" escolhida foi o original "Despedida", seguindo-se os dois originais "Sina de uma Caloira" e o "Hino da Tuna", como "Música Supresa" e "Bónus Track", respectivamente. Finalizaram com o seu FRA, despedindo-se assim do público presente.

A segunda tuna a concurso da noite foi A Feminina - Tuna Feminina da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa. Iniciaram a sua actuação com o tema "Xácara das Bruxas Dançando", dos Trovante, seguindo-se o tema de solista "Maria Lisboa". O instrumental "Os Dias Felizes" deu continuidade à sua actuação, destacando-se neste as suas pandeiretas e estandartes. Os temas "Molineiro" (em mirandês) e "Todas as Ruas do Amor" fizeram as delicias presentes, tendo A Feminina terminado a sua actuação com a "Desfolhada" e o FRA.

Após um breve intervalo, subiu a palco a segunda tuna convidada da noite, a Desertuna - Tuna Académica da Universidade da Beira Interior. Interpretaram "Toninho", destancando-se os seus pandeiretas e o acompanhamento do público, prosseguiram com "Covilhã" e houve ainda espaço para uma serenata, em "Balada do Desajeitado", saindo de palco ao som de "Alface Fresquinha".
De seguida, subiu a palco a terceira tuna a concurso da noite. Vindas do Porto, a Atituna (Tuna Feminina da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto), com 34 elementos em palco, pautou a sua actuação por pormenores ligados à cidade que as acolheu neste festival: dos textos aos flocos de neve decorativos dos instrumentos. Iniciaram a sua actuação com um medley em ritmos quentes, prosseguindo a sua actuação com "Recuerdos Bolivianos". A Atituna escolheu "Vou dar de beber à dor" e "Aconteceu", na voz da sua solista, para prosseguir o seu espectáculo, despedindo-se do público covilhanense com "Criatura da Noite".

A Samarituna - Tuna Feminina da Universidade Lusófona, com 20 elementos em palco, terminou o lote de tunas a concurso da noite. Iniciaram a sua actuação com o tema "Os Bravos", uma música popular açoriana. "Lisboa de Negro" foi o original que se seguiu, prosseguindo com a voz da sua solista em "Todas as Coisas". Apresentaram ainda o instrumental "Vitorianas", numa homenagem em forma de medley, finalizando a sua actuação com "Cravo Roxo", dedicado à Covilhã, e o seu FRA.

Enquanto o júri deliberava, foi tempo de subir ao palco a tuna da casa. Iniciaram a sua actuação com o tema original "Feiticeira", estreando seguidamente a sua adaptação de "Criatura da Noite", onde se destacaram as performances das suas porta-estandartes. Escolheram um medley de António Variações para apresentar ao seu público, prosseguindo a actuação com uma muito aplaudida prestação da sua solista em "Revivendo Amália", um medley com os temas "Barco Negro", "Gaivota" e "Povo que Lavas no Rio". Interpretaram, de seguida, "A Saia da Carolina", conjuntamente com o grupos "Amigos dos Bombos", de Vales do Rio, que apresentaram ao público mais alguns temas do seu repertório, desta feita já sem a presença da Encantatuna.

Após a actuação do grupo "Amigos dos Bombos", regressou a palco a Encantatuna para entregar lembranças a todos aqueles que contribuíram para o sucesso deste festival: guios, apresentadores (que brilharam nas suas prestações ao longo do festival), tunas participantes (a concurso e extra-concurso), à banda que animou a festa que se seguiu, aos "Amigos dos Bombos" e ainda ao júri. Houve ainda lugar à atribuição do título de membro honorário ao Pedrito, bem como aos agradecimentos já habituais aos patrocinadores e apoios.

Desta feita, o júri, composto por:
Prof. José Cavaco - Director da Banda da Covilhã
Prof. Bruno Silva - Professor de Clarinete
Sr. Mota - ligado à Arte e Cultura da Covilhã
Luís "Ovelhinha" Tavares - membro da Desertuna - Tuna Académica da Universidade da Beira Interior
Ana Carolina - Membro da Encantatuna - Tuna Académica Feminina da Universidade da Beira Interior
Maria Inês - Membro da Encantatuna - Tuna Académica Feminina da Universidade da Beira Interior
Marília - Membro da Cientuna - Tuna Feminina da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto

Deliberou e atribuiu os prémios da seguinte forma:
Melhor Pasacalles - Samarituna - Tuna Feminina da Universidade Lusófona
Melhor Pandeireta - A Feminina - Tuna Feminina da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa
Melhor Estandarte/Bandeira - A Feminina - Tuna Feminina da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa
Melhor Solista - Samarituna - Tuna Feminina da Universidade Lusófona
Tuna mais Tuna - Feminis Ferventis - Tuna Académica Feminina da Universidade do Algarve
Melhor Tuna - A Feminina - Tuna Feminina da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa

A Encantatuna fechou o espectáculo com a presença em palco das fundadoras e antigos elementos, interpretando o seu "Hino".
A festa prosseguiu, noite dentro, no Pavilhão do Oriental de S.Martinho, com a banda High Voltage.

O Portugaltunas endereça os parabéns à Encantatuna pelo seu II Feitiço e agradece a disponibilidade e colaboração para com o nosso portal.


Direitos de Autor: http://www.portugaltunas.com/artigos/ii_feitico/id=3572/

Sem comentários: