VIII Scientiphicvs





Na passada sexta - feira 13 do terceiro mês do ano a EncantaTuna – Tuna Académica Feminina da Universidade da Beira Interior emergiu da sua Cidade Neve e rumou a terras nortenhas, onde o sol nasce no mar. Rumamos então à belíssima Cidade do Porto para encantar todos aqueles que não temeram a sexta - feira 13 e estiveram presentes na VIII edição do SCIENTIPHICVS - Festival de Tunas, organizado pela Cientuna – Tuna Feminina de Ciências do Porto e pela Javardémica, realizado nos dias 13 e 14 de Março no Grande auditório do Seminário de Vilar.

Assim que as nossas vassouras pousaram na Invicta, a “Tuna da montanha” olhou para a sua bola de cristal e viu que a tradição de  “a Tuna fechará o tasco” se iria manter logo depois do festival. Após um belíssimo jantar e com o céu nocturno como pano de fundo, a nossa tuna encaminhou-se para o que iria ser o início de uma noite memorável para esta família.

A subida ao palco iniciou-se com um verdadeiro tributo ao significado que a noite de sexta-feira 13 tem para a nossa tuna com a nossa adaptação da “Criatura da noite”. Seguiram-se a esta os temas “Venham mais cinco", a nossa música de solista “O Infante” e o nosso mais recente tema instrumental que teve aqui a sua estreia em palco de festivais. Terminámos a nossa actuação com os nossos originais “Feiticeira” e  “Hino à EncantaTuna". A festa continuou pela noite fora no Quid Praxis, regada com muito Casal Garcia e finos à mistura, sem faltar à festa a nossa querida Queimada!

No dia seguinte e com o sol já a brilhar realizou-se durante a tarde o passacalles, em que, juntamente com a companhia do nosso “guio” Alheiras, a EncantaTuna espalhou a sua magia e enterneceu as pessoas que passeavam pela cidade Invicta com a sua animação e com as suas poções musicais. De ponta a ponta da cidade, a nossa Tuna realizou as atividades que eram propostas em cada posto, desde uma serenata no café centenário “O Piolho”, até a uma demonstração da sua graça e capacidade de dançar, com uma flash mob em frente à Torre dos Clérigos, tendo sido ainda sempre aliado a um excelente convívio entre tunas. No final do passacalles houve ainda espaço para um momento solene, em que foi prestada uma última homenagem ao nosso querido megafone que tão bem nos serviu durante outros passacalles noutras tantas cidades, e que escolheu um sítio belíssimo onde passar a sua eternidade no reino dos megafones com músicas que fazem toda uma tuna dançar.

Seguiu-se o segundo dia de actuações do festival dedicado às Tunas masculinas. No final das actuações, a nossa Tuna regressou assim ao submundo da Covilhã de mais um festival memorável e recheado de boas amizades e convívio com as outras Tunas. Além de todas as recordações e sono, voltámos ainda acompanhadas dos prémios de “Melhor Solista” e de “Melhor Passacalles”.

Agradecemos à Cientuna – Tuna Feminina de Ciências do Porto e à Javardémica pelo convite, hospitalidade, bons copos e alegria contagiante, e fazemos votos de um reencontro próximo! Bem hajam!"

Sem comentários: